fbpx

O que fazer em Belo Horizonte é uma das perguntas que eu mais escuto quando digo que sou mineiro e moro nessa cidade. Afinal, mesmo não sendo a cidade brasileira mais procurada por turistas, o turismo tem se intensificado a cada dia na cidade. Prova disso é o carnaval que era praticamente inexistente ate 2014 e hoje é um dos maiores carnavais de rua do Brasil.

Outro fator que contribui para o turismo em Belo Horizonte é a gastronomia mineira. É impossível visitar a cidade e não se deparar com pratos típicos da cozinha mineira a cada esquina, nas festas e festivais, além dos butecos, que são um símbolo a parte da capital mineira.

Planeje sua viagem

Pirulito da Praça 7 em Belo Horizonte.
Obelisco (ou pirulito) da Praça 7 no centro de BH.
foto: Photo by Daniel Monteiro on Unsplash

Índice

Clima e quando ir

O clima de Belo Horizonte é classificado como tropical com estação seca (Aw, segundo Köppen), sendo assim, no verão o tempo é bastante quente. A temperatura média máxima durante o verão é de 28° e mínima de 17°, sendo janeiro e fevereiro os meses mais quentes. O período mais chuvoso vai de outubro a março.

Já o inverno é marcado por temperaturas mais amenas e pouca chuva, tendo episódios de baixa umidade relativa do ar.

De qualquer forma, o ano inteiro é uma boa época para visitar Belo Horizonte, já que a cidade não depende de atrativos turísticos condicionados a baixa e alta temporada.

Como chegar em Belo Horizonte

Belo Horizonte é um cidade mais central no Brasil, portanto o acesso a ela não é tão complicado, seja qual for o meio de transporte.

De carro:

É fácil chegar a  Belo Horizonte, já que  a cidade é bem servida de estradas.

  • São Paulo a BH
    • Acesso pela BR 381.
    • Distância: 581 Km
    • Tempo de Viagem: 7 horas e meia.
  • Rio de Janeiro a BH
    • Acesso pela BR 040.
    • Distância: 444 Km
    • Tempo de viagem: 6 horas
  • Brasília a BH
    • Acesso pela BR 040.
    • Distância: 737 Km.
    • Tempo de Viagem: 10 horas.
  • Curitiba a BH
    • Acesso pela BR 116 e depois 381.
    • Distância: 1000 Km.
    • Tempo de viagem: 13 horas.
  • Vitória a BH
    • Acesso pela BR 262.
    • Distância: 547 Km.
    • Tempo de viagem: 9 horas (devido a trechos estreitos e com muitas curvas).

De ônibus:

Chegar em BH de ônibus é tão simples quanto de carro, com a diferença que de ônibus a viagem costuma demorar mais um pouco.

A rodoviária de Belo Horizonte fica no centro da cidade, o que facilita muito a locomoção e o acesso a diversos pontos da cidade.

De avião:

Belo Horizonte conta com dois aeroportos:

  • o da Pampulha, que recebe muito poucos vôos mas na região de mesmo nome, sendo o mais próximo das regiões centrais da cidade e;
  • o de Confins, que fica na cidade que também se chama Confins, a 40 Km de BH e conta com um serviço especial de traslado feito por ônibus (link AQUI). Os apps de transporte também atendem o aeroporto de Confins e os valores não são tão altos, valendo muito a pena quando se está em grupo.

Onde se hospedar em Belo Horizonte

Não existe muito mistério para decidir onde se hospedar em Belo Horizonte, já que as opções de atrações turísticas na cidade estão bem concentradas. A variedade de preços é muito boa, bem como os tipos de acomodações.

Claro que reservas de última hora são sempre mais caras, já que, provavelmente, as opções mais em conta estarão esgotadas.

A Savassi, Lourdes e Centro são as regiões da cidade com maior concentração de hospedagem, sendo elas regiões próximas a grande parte das atrações de BH, o que diminui os preço de deslocamento para quem optar por apps de mobilidade ou táxi, além de diminuir consideravelmente o tempo de deslocamento.

Sugestões de hotéis:

Na Savassi

Próximo à Praça da Liberdade

Em Lourdes

Para Economizar

O Centro de Belo Horizonte tem características muito mais comerciais do que as outras regiões da cidade, com uma grande concentração de pessoas durante o dia, um bom movimento de bares durante a noite e poucos pedestres na rua à medida que a noite vai avançando.

É bom ter uma maior atenção com o centro de BH, ainda que essa região seja bem policiada. De qualquer forma, a maioria dos hotéis são seguros por lá.

Como o Centro é uma região menos nobre do que a Zona Sul (onde se encontram a Savassi e Lourdes), os preço tendem a ser melhores, mesmo em hotéis mais bem estruturados e bem avaliados.

Sugestões de hotéis:

Sugestões de hotéis na Pampulha:

Para quem pretende focar sua visita a BH em conhecer as atrações da região da Pampulha, existem também boas opções de hotéis por lá.

O que fazer em Belo Horizonte

Pôr do sol em Belo Horizonte.
Vista do horizonte de Beagá e sol maravilho pôr do sol. foto: Johnnie Lustoza

Se existe alguma quase unanimidade entre os belorizontinos é em relação aos bares da cidade. Para qualquer recomendação de onde visitar, você ouvirá alguma recomendação de um bar, restaurante ou buteco para ir depois da visita.

Como recentemente (em outubro de 2019) a cidade conquistou o título de Cidade Criativa da Gastronomia pela UNESCO, você tem um motivo ainda maior para não deixar de conhecer tais lugares e experimentar a culinária típica mineira.

Além disso, a cidade é palco de diversos festivais culturais, gastronômicos e corporativos e como, o que faz da gastronomia um complemento perfeito para os turistas na cidade.

Vai Viajar para o exterior e precisa de internet 100% do tempo no seu celular?

Ter internet no exterior é essencial para usar aplicativos como Uber e Google Maps, além de conversar no WhatsApp e postar aquela foto no Instagram.

Na America Chip você pode comprar chip com acesso a internet no exterior e recebê-lo em casa, com conexão 4G garantida em diversos países.

QUERO O MEU CHIP >>

Desconto em cervejas artesanais

Além da gastronomia, Belo Horizonte se destaca pela quantidade de cervejarias artesanais que existem na cidade e nos arredores, como é o caso do bairro Jardim Canadá, que pertence ao Município de Nova Lima, mas que é colado com BH.

E devido à essa grande quantidade de cervejas artesanais sendo produzidas por perto, o número de bares que comercializam ou são especializados nessa bebida é enorme.

Eu sei que cerveja artesanal não é algo tão barato devido à sua maior qualidade de produção e seleção de ingredientes, por isso eu gosto de recomendar uma App chamado Bom de Copo, que pode ser baixado na versão gratuita, com uma certa limitação de uso, ou então pode ser feito um upgrade para uma versão mais completa, por apenas R$14,90 mensais, com a assinatura podendo ser cancelada a qualquer momento, sem burocracias.

O Bom de Copo é um App que dá a seus usuários descontos e benefícios especiais em mais de 70 bares parceiros em Belo Horizonte. Tais benefícios vão desde desconto em conta a promoções como compre um chope e ganhe outro, ou mesmo ações especiais onde diversos bares oferecem chopes a R$1,00 ou com uma grande porcentagem de desconto.

E pra quem usar o nosso código de indicação VOUNOMUNDO na hora de fazer a assinatura, ainda ganha 30% de desconto nos 3 primeiros meses.

O que fazer a noite em Belo Horizonte

Baixo Lourdes.
Baixo Lourdes. foto: Divulgação.

Belo Horizonte é considerada a capital dos bares, uma vez que é uma cidade com uma enorme incidência de bares por habitantes.

Além dos bares, pubs e restaurantes, que são motivo de orgulho entre os cidadãos locais, existem também diversas opções mais agitadas, como pubs de rock, casas de samba, sertanejo e forró.

Os bairros da região Centro-Sul concentram um número maior de estabelecimentos noturnos, enquanto os bairros da Zona Leste, especialmente o Santa Teresa, tem uma grande concentração de butecos, os quais costumam funcionar ate altas horas.

Veja essa lista com 66 bares de cerveja artesanal em BH.

Onde comer comida mineira em BH

É inegável que a gastronomia mineira é uma das mais procuradas e respeitadas do Brasil, sendo famosa em todo território nacional, especialmente por valorizar a cultura alimentar caipira e o contato com a produção dos alimentos.

Do pão de queijo ao torresmo, em qualquer lugar de Belo Horizonte, mesmo no carnaval, é possível encontrar pratos típicos mineiros e preços variáveis, mas a maioria é bem acessível.

E para reforçar ainda mais a qualidade da cozinha mineira, Belo Horizonte acabou de receber, em outubro de 2019, o título de Cidade Criativa da Gastronomia pela UNESCO e passa a integrar essa seleta rede de cidades criativas ao redor do mundo.

Feijão Tropeiro

Feijão tropeiro é um dos pratos mais procurados durante o carnaval de Belo Horizonte
foto: Moe Alves em Wikimedia Commons

É talvez o prato mais famoso da gastronomia mineira, sendo amplamente conhecido em toda capital e região metropolitana. É um prato que está presente nos estádios de futebol e se tornou popular durante os jogos dos times mineiros em Belo Horizonte.

Sua receita basicamente é feijão misturado com bacon, ovos mexidos, linguiça, torresmo e farinha, a qual pode ser de milho ou de mandioca.

Muitos restaurantes servem o feijão tropeiro com arroz, vinagrete, batata frita, carne de porco e um ovo frito por cima tropeiro, ovo esse que muitos belorizontinos chamam carinhosamente de zoiudo, zoião ou disco voador.

Onde comer:

  • Mineirão (só é servido em dias de jogo).
  • Restaurante Casa Cheia (Mercado Central e Savassi).
  • Chopp da Fábrica (Santa Efigênia e Pampulha).

Linguiça

É um alimento muito consumido em todo o Brasil, não sendo restrito só a Minas Gerais. O motivo dele entrar nessa lista se deve ao fato de que em quase qualquer açougue do estado é possível encontrar alguma linguiça de produção artesanal, muitas vezes feita de carne de porco caipira.

Além disso, a linguiça, especialmente as defumadas, é base para diversos pratos da culinária mineira, além de estar presente nos cardápios de churrascos, botecos, bares e restaurantes locais.

Onde comer:

  • Köbes (peça a linguiça aberta na chapa).
  • Café Palhares
  • Dom Linguiçaria Artesanal

Pão de queijo

Pão de queijo: a comida mais famosa de Belo Horizonte
foto: rodolfo silva on Unsplash

Esse não é necessariamente um prato, mas sim uma quitanda, ou salgado. De qualquer forma é o item mais famoso da cozinha mineira. Basta um mineiro chegar em outro estado e dizer que é mineiro que ele vai ouvir: Minas, terra do pão de queijo.

Ele é feito de polvilho, ovo, leite, óleo (pode ser manteiga ou banha de porco) e queijo minas meia cura. É feito assado e fácil de ser encontrado em qualquer esquina de BH.

Com toda certeza o pão de queijo vai ser o “prato” mais consumido durante o carnaval de Belo Horizonte 2021.

Onde comer:

  • A Pão de Queijaria.
  • Verdemar (rede de supermercados de BH).
  • Dona Diva Café & Quitandas (Mercado Central).

Frango com quiabo

Quem conhece o interior de Minas com certeza já pelo menos ouviu falar do frango com quiabo. É muito comum em fazendas e restaurantes especializados em comida caipira.

Seus ingredientes são simples: frango cozido com quiabo. Algumas receitas falam para colocar molho de tomate, mas é pouco coisa para não tirar o destaque dos ingredientes principais.

O tempero varia de região pra região, mas não é nada tão discrepante não.

Onde comer:

  • Maria das Tranças (Savassi e Pampulha).
  • Xico da Kafua.
  • Dona Lucinha.

Torresmo

Tira-gosto clássico dos bares brasileiros, o torresmo está nos cardápios de quase todos restaurantes em Minas. Nos bares (ou botecos, como os mineiros preferem dizer), o torresmo é o rei dos tira-gostos, sendo muito consumido.

Onde comer:

  • Bitaca da Leste.
  • Bar Patorroco.
  • Copo de Ouro.

Frango ao molho pardo

Frango ao molho pardo não é tão famoso quanto o frango com quiabo mas é um dos queridinhos dos mineiros.

Nesse prato, o frango é cozido em um molho que leva seu próprio sangue, o que faz dele um prato mais exótico e mais difícil de ser preparado.

Onde comer:

  • Xico da Kafua.
  • Maria das Tranças.
  • Xapuri.

Vaca atolada

A base desse prato é carne de boi cozida com mandioca, que precisa estar derretendo, além dos temperos básicos como sal, cebola, alho e etc. Algumas variações incluem um pouco de molho de tomate, bacon e cheiro verde.

Dentre os cortes bovinos, a costela é o mais comum de ser usado nesse prato, que faz muito sucesso nos dias mais frios.

Onde comer:

  • Silvio’s Bar.
  • Jeito Verdim.
  • Dona Lucinha.

Tutu de feijão

É um feijão batido misturado com farinha de mandioca até que se chegue numa consistência mais firme, mas ainda bem pastosa.

É um prato bem simples.

Muitos cozinheiros costumam colocar um pouco de molho de tomate por cima para enfeitar, junto com pedacinhos de torresmo e rodelas de ovo cozido. Alguns ainda colocam pedaços de linguiça frita ou assada no meio do tutu.

Onde comer:

  • Roça Grande.
  • Cantina do Lucas (Edifício Maleta).
  • Restaurante Jorge Americano (Mercado Central).

Ora-pro-nóbis

Ora-pro-nobis é uma planta famosa na gastronomia mineira.
foto: David J. Stang em Commons Wikimedia.

Um vegetal bastante conhecido em Minas, mas que ainda não ganhou muito destaque em outros estados, sendo considerado uma PANC (plantas alimentícias não convencionais) de alto valor nutritivo por ser rica em proteína e ferro.

Ela pode ser preparada e servida pura, precisando apenas ser refogada, mas é comum ser preparada com alguma carne como costelinha suína ou frango cozido.

Seu sabor é marcante, um pouco terroso, mas se assemelha ao espinafre, apesar de ser uma folha mais firme, menor e mais escura.

Onde comer:

  • Paladino (frango ou porco com ora-pro-nóbis).
  • Casa Cheia (Savassi ou Mercado Central – costela suína com ora-pro-nóbis).
  • Bar do Tonho (costela suína com ora-pro-nóbis e angu).

Broa de fubá

Broa de fubá é uma quitanda à base de milho e não leva farinha de trigo em seu preparo, apenas fubá, ovo, leite, óleo (mas pode ser manteiga ou banha de porco) e açúcar.

É bem comum em cidades do interior de Minas, principalmente nas fazendas.

Muitos hotéis ou hostels costumam servir broa de fubá em seus buffets de café da manhã e durante o carnaval de Belo Horizonte 2021 não vai ser diferentes, pode apostar.

Onde comer:

  • Roça Grande.
  • Oca do Milho.
  • Comercial Sabiá (Savassi e Mercado Central).

Doce de leite

Se o pão de queijo é a iguaria mineira mais famosa, o doce de leite é a sobremesa mais conhecida de Minas. Não que ela seja exclusivamente mineira ou que tenha suas origens em Minas Gerais, mas é um doce muito consumido por aqui.

É tão popular que toda cidade do estado conta com diversos de produtores de doce de leite caseiro (além de outros doces, geleias e compotas).

Doces de leite mineiros famosos:

  • Viçosa (produzido em Viçosa).
  • Aviação (produzido em São Sebastião do Paraíso).
  • Reserva de Minas (produzido em Machado).
  • Majestic (produzido em Alfenas).
  • Sabores do Grama (produzido em Santo Antônio do Grama).
  • Rocca (produzido em Pouso Alegre).

Receita => Doce de leite caseiro com cerveja de trigo

Sugestão do que fazer em Belo Horizonte em 3 dias

Não que apenas 3 dias sejam suficientes para se conhecer a capital mineira, mas como eu sei que as disponibilidades de tempo variam de uma pessoa para a outra, decidi criar um roteiro que pode ser explorado em 3 dias, sendo que concentrei regiões específicas da cidade em cada um desses dias.

Dia 1 – Região da Pampulha

Como essa região é um pouco afastada do centro da cidade, é interessante que você reserve um dia inteiro para visitá-la. São diversas opções de museus e outras atrações, que vão desde a Lagoa da Pampulha até o Estádio Mineirão.

Em 2016, o Conjunto Arquitetônico da Lagoa Pampulha foi considerado Patrimônio Cultural da Humanidade, o que fez com que a região passasse a ser ainda mais procurada por turistas.

A maior parte das atrações se concentram nos arredores da Lagoa, que tem aproximadamente 20Km de extensão.

Se não for dia de jogo, o Mineirão é uma boa atração para ser visitada. A visita não é muito demorada e ali pode ser o ponto de partida para as demais atrações do circuito da Pampulha. Para quem é um apaixonado pelo futebol, o Mineirão abriga o Museu Brasileiro do Futebol (MBF). O MBF expõe, pesquisa e preserva artefatos materiais e imateriais do futebol brasileiro.

Outras atrações muito recomendadas na região são: a Igrejinha de São Francisco de Assis, a Casa Kubitscheck, a Casa do Baile e o Museu de Arte da Pampulha – MAP.

Casa Kubitscheck

Essa foi uma casa projetada em 1943 por Oscar Niemeyer para ser a residência de fim de semana de Juscelino Kubitschek, ex-presidente do Brasil, que na época era prefeito de Belo Horizonte.

Os jardins, que ficam nos fundos e na frente da casa, foram projetados pelo paisagista Roberto Burle Marx.

Casa do Baile

Casa do Baile na Pampulha, em Belo Horizonte.
Casa do Baile na Pampulha. foto: Photo by Nathalia Segato on Unsplash.

A Casa do Baile também foi uma construção foi projetada pelo arquiteto Oscar Niemeyer. Sua inauguração como um salão de dança popular aconteceu em 1943 e hoje ela abriga o Centro de Referência de Urbanismo, Arquitetura e Design de Belo Horizonte.

Igreja de São Francisco de Assis

A Igreja São Francisco de Assis, é uma obra do arquiteto Oscar Niemeyer, do paisagista Burle Marx e do pintor Cândido Portinari. Ela é uma obra tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), pelo Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (IEPHA/MG) e pela Gerência do Patrimônio Municipal.

Além dessas 3 sugestões, se sobrar um tempinho, não deixe de visitar o Parque Ecológico da Pampulha e ver o pôr do sol na Casa do Baile.

Onde comer na Pampulha

São inúmeras opções de restaurantes de comida mineira na região da Pampulha. Se você for passar o dia todo na região, eu recomendo o Restaurante Paladino, o Chope da Fábrica Pampulha e o Restaurante Xapuri.

Booking.com

Dia 2 – Circuito Liberdade

É a maior concentração de atrações turísticas de Belo Horizonte. Os arredores da Praça da Liberdade guardam prédios são marcados por construções centenárias que contrastam com a arquitetura contemporânea.

Praça da Liberdade

Praça da Liberdade em Belo Horizonte.
Praça da Liberdade. foto: Photo by Thaynara Souza on Unsplash.

Esse é um importante ponto turístico da cidade. É um local de grande beleza paisagística, além de ser palco de eventos gratuitos como shows, teatro e dança, além de oficinas culturais e artísticas. É local também de concentração de diversos blocos do Carnaval de Belo Horizonte.

Uma intervenção artística que sempre atrai multidões para lá são as luzes de natal.

Centro Cultural Banco do Brasil

Esse espaço foi inaugurado em 27 de agosto de 2013, ocupando o prédio cedido pelo Governo do Estado de Minas Gerais ao Banco do Brasil, tornando-se a quarta unidade do CCBB no país. 

Ao todo são seis andares que recebem constantemente eventos nas áreas de artes cênicas, cinema, exposições, ideias, música e educação, com programações regulares com qualidade, diversidade, a preços acessíveis, dirigida a todos os segmentos da sociedade e com ações integradas a iniciativas de responsabilidade social.

Memorial Minas Gerais

Essa atração é definida com um definida como “museu de experiência”. O Memorial Minas Gerais proporciona ao visitante a possibilidade de a descobrir a história e os costumes mineiros de uma forma diferente. São cenários reais e virtuais que se misturam para criar experiências e sensações que levam o público em uma viagem que vai do século XVIII até os dias atuais.

Dentre as principais atrações desse museu estão personagens ilustres, vilas barrocas, grandes autores, cidadãos comuns, moda, comida típica e artesanato, distribuídos nos 31 espaços que compõem o Memorial. 

Palácio da Liberdade

Belo Horizonte foi projetada no final do século 19 para ser a nova capital do Estado de Minas Gerais, com isso, o Palácio da Liberdade foi construído para ser a nova sede do Governo mineiro.

O Palácio conta com um grande acervo de candelabros em bronze dourado, e seu interior é revestido por um piso em parquet, adornado com lustres em cristal, um rico mobiliário, painéis alegóricos, torreões, e uma linda escadaria principal que foi encomendada a uma empresa da Bélgica.

O blog Chicas Lokas na Estrada tem um post muito legal falando tudo sobre o Palácio da Liberdade e a viagem no tempo que ele proporciona.

Museu Abílio Barreto

Esse museu não faz parte do Circuito Liberdade, porém sua importância para a cidade e sua proximidade com a Praça da Liberdade me fizeram incluí-lo nessa sugestão de segundo dia de passeio em Belo Horizonte.

Ele foi projetado em um casarão antigo, cuja construção data de antes do planejamento de Belo Horizonte. Sua inauguração aconteceu em 1943, quando Juscelino Kubitschek era prefeito da cidade.

Seu acervo possui documentos textuais, iconográficos, bidimensionais e tridimensionais referentes às origens, formação e desenvolvimento de Belo Horizonte.

Outros espaços para visitação no Circuito Liberdade:

  • Espaço do Conhecimento UFMG
  • MM Gerdau – Museu das Minas e do Metal
  • Centro de Arte Popular – Cemig
  • BDMG Cultural
  • Academia Mineira de Letras
  • Museu Mineiro
  • Arquivo Público Mineiro
  • Cefar Liberdade
  • Casa Fiat de Cultura
  • Biblioteca Pública Estadual de Minas Gerais
  • Hub Minas Gerais
  • Espaço Cultural Escola de Design – UEMG

Onde comer próximo ao Circuito Liberdade

Existem diversos restaurantes conceituados na região do Circuito da Liberdade, o que dificulta um pouco qualquer tipo de indicação.

De qualquer forma eu sempre aconselho quem visita BH a conhecer a Hofbräuhaus, que é uma filial de uma famosa cervejaria de Munique, sendo a única na América Latina. 

Indico também o Restaurante do Porto que tem uma bacalhoada muito famosa. 

E pra completar a lista, o restaurante Roça Grande é uma das melhores opções de comida caipira mineira em Belo Horizonte. A proprietária, Mariana Gontijo, faz questão de utilizar apenas ingredientes vindos da roça, cultivados sem agrotóxicos ou em larga escala. Além disso, o restaurante funciona também como uma lanchonete e serve uma broa de milho muito boa, além de uma coxinha de frango caipira com requeijão de barra que é a melhor que eu já comi.

Booking.com

Dia 3 – Centro de BH, Savassi e Serra do Curral

Centro

O Centro de BH é onde fica o ponto turístico mais visitado da cidade: o Mercado Central. Além disso é onde se encontram outros pontos importantes como o Parque Municipal, o Palacio das Artes e o Parque Municipal.

Mercado Central

É um dos maiores mercados populares do Brasil sendo um dos pontos comerciais e turísticos mais procurados de Belo Horizonte, já que conta com mais de 400 lojas que recebem turistas de todas as partes do mundo.

Dentre os produtos mais vendidos no Mercado, você vai encontrar ervas, temperos, verduras, frutas, legumes, carnes, além de produtos típicos da culinária mineira.

Além disso, o Mercado Central é famoso pelos seus bares e restaurantes sempre cheios, com clientes dividindo espaços entre mesas e balcões sempre com uma cerveja do lado e petiscando diversos do pratos típicos que são muito procurados por lá, como é o caso do fígado acebolado na chapa com jiló.

Parque Municipal

Parque Municipal em Belo Horizonte.
Parque Municipal.

O Parque Municipal Américo Renné Giannetti foi inaugurado em  26 de Setembro de 1897 e hoje ele é um refúgio bem no centro de Belo Horizonte.

Seu interior é repleto de árvores, lagos e pessoas transitando durante o dia. Durante a noite o parque fecha suas portas por questões de segurança. Porém, é bem comum que o parque receba shows e espetáculos artísticos, os quais muitas vezes são gratuitos.

Palácio das Artes

O Palácio das Artes recebe diversos shows, espetáculos de dança a apresentações de teatro, além de ser um local com mostras temporárias de diversos gêneros artísticos.

No subsolo do Palácio das Artes existe uma sala de cinema que está sempre recebendo mostras e festivais audiovisuais, além de exibir gratuitamente curtas e longas metragens quase o ano inteiro.

Praça da Estação e Museu de Artes e Ofícios

Essa é uma praça localizada em frente à estação central de metrô de BH e é palco de diversas intervenções culturais, eventos musicais, espetáculos de dança, festas juninas e concentração de blocos de carnaval.

Já o Museu de Artes e Ofícios tem um acervo que é inteiramente dedicado ao tema trabalho, sendo o primeiro empreendimento museológico do país dedicado a esse tema.

Monumento à Civilização Mineira em Belo Horizonte.
Monumento à Civilização Mineira na Praça da Estação em Belo Horizonte.

Onde comer no Centro de Belo Horizonte

No Mercado Central a minha principal indicação é o restaurante Casa Cheia, que serve diversos pratos mineiros, todos muito bem feitos e com o tempero na medida certa.

Para quem gosta de comida de buteco, perto do Mercado Central tem o Nonô: o Rei do Mocotó que é nacionalmente famoso pelo seu caldo de mocotó, servido fervendo com opção de um acréscimo de um ovo de codorna quebrado cru dentro do caldo (obviamente a temperatura do caldo acaba cozinhando o ovo).

No edifício Maleta, um prédio famoso no centro de Belo Horizonte por abrigar diversos bares, eu indico a Cantina do Lucas, um restaurante antigo no local, que serve um Filé a Parmegiana sem igual na cidade.

Savassi

Point de diversas tribos da cidade, a Savassi está sempre movimentada. Durante o dia as atividades comerciais são intensas por lá, o que dá espaço à boemia à noite, com diversos bares funcionando a todo vapor, além de pubs e baladas.

A savassi não é propriamente um bairro mas sim uma pequena região da cidade onde funciona um diversidade de empresas, bares, restaurantes, além de ser um local onde acontecem eventos de rua como festivais e shows diversos.

Onde comer na Savassi

Eu não podia deixar de indicar a iguaria mais famosa de Minas Gerais, que é o pão de queijo. E nesse quesito, A Pão de Queijaria tem as mais diversas opções dessa famosa quitanda mineira, com opções de pães de queijo recheados ou sem recheio.

O Comercial Sabiá também é famoso por seu pão de queijo, mas é a sua broa que faz sucesso entre os que gostam de um lanchinho mais mineiro nas tardes ali pela Savassi.

E para não ficar só nas indicações de comida mineira, vale a pena ir na Baiana do Acarajé, que tem em seu cardápio diversas opções da gastronomia baiana e vive cheio, principalmente a noite, com diversas pessoas tomando umas e outras.

Praça do Papa

Praça do Papa.
A Praça do Papa vista de cima da Serra do Curral.
foto: Marina Campos Vinhal [CC BY 2.0], via Wikimedia Commons

A Praça do Papa é famosa por estar no pé da Serra do Curral, além de ter uma vista linda de quase todas a cidade de Belo Horizonte. 

Por lá é comum ver pessoas fazendo caminhada ou apenas passando o tempo, principalmente para contemplar o pôs do sol, que é um dos mais bonitos da cidade.

Onde comer

Não existem restaurantes muito próximos à Praça do Papa, sendo a melhor opção os ambulantes que vendem sanduíches ou pipoca por lá.

Uma outra opção é levar o próprio lanche ou mesmo aguardar para comer em algum restaurante em outro ponto da cidade.

Parque das Mangabeiras

Esse parque fica bem próximo à Praça do Papa e também está localizado no pé da Serra do Curral. Ele é todo coberto por matas de vegetação nativa, com pequenas cachoeiras e riachos por todos os lados.

Bem próximo à sede do parque existe um teatro de arena onde acontecem diversas atrações culturais.

O parque conta com um micro-ônibus que roda por todo o seu território, uma vez que, além de muito grande, são diversas ladeiras para se chegar de um ponto ao outro lá dentro.

Onde comer

São poucas opções de lanchonetes e restaurantes dentro do parque, mas já servem para matar a fome ou fazer um lanchinho rápido entre uma caminhada e outra.

Booking.com

Bairro Santa Tereza

Se você tiver um tempinho a mais em BH e gosta de um buteco, não deixe de visitar o bairro Santa Tereza que fica na região Leste da cidade, próxima ao Centro.

São várias opções de bares, alguns deles quase centenários, como é o caso do Bar do Orlando.

Apesar de ser uma boa indicação para curtir a vida noturna e boêmia da cidade, o Santa Tereza não possui nenhuma atração de peso se comparado a outras regiões da cidade, por isso minha recomendação é visitar os pontos sugeridos durante o dia e visitar o Santê (como o bairro é carinhosamente chamado) durante uma das noites na cidade. 

Onde comer no Santa Tereza

Para os que estão à procura de uma opção para forrar o estômago no fim de noite, o Bolão é famoso pelo seu macarrão e pelos pratos feitos que são servidos na madrugada, os quais são batizados de Rochedão, que são compostos de arroz, feijão, batata frita com diversas opções de carnes e algumas variações nos ingredientes principais, como feijão tropeiro e macarrão a bolonhesa.

Para um petisco rápido eu indico a Mercearia do Nivaldo, que tem uma almôndega feita no molho de tomate, servida com fubá torrado e um queijo minas curado ralado por cima. E o mais legal do bar é que quase não tem mesas ou balcão, sendo que os clientes ficam todos de pé, encostados nos freezers horizontais, nos caixotes de feira ou onde der. Ah, lá é o próprio cliente que se serve de cerveja. É só abrir o freezer, pegar uma garrafa, abrir e ir amontoando os cascos por perto. No final, o Nivaldo faz as contas do que foi consumido e pronto.

Tudo bem que em qualquer cidade do Brasil a gente pode encontrar uma boa pizzaria, mas a Parada do Cardoso serve uma das pizzas mais famosas de Belo Horizonte. Por esse motivo eu não poderia deixar essa indicação de fora.

Booking.com

Feira Hippie

Se por acaso você estiver em Belo Horizonte em um dia de domingo e gosta de artesanato, a Feira Hippie é uma excelente opção. Ele funciona durante todas as manhãs de domingo e começa a ser desmontada por volta das 16h.

São centenas de expositores vendendo desde bijuterias a bolsas, artigos em couro, roupas e diversos tipos de arte e artesanato.

Entre uma andança e outra na feira, é possível encontrar barraquinhas vendendo churrasquinhos, pão com pernil, feijão tropeiro, acarajé e, claro, cerveja em lata.

Cervejarias artesanais de Belo Horizonte

Algumas cervejarias têm suas portas abertas para a visitação em Belo Horizonte. Abaixo eu listei algumas que além de serem abertas para visitação, contam com bar próprio* onde é possível experimentar várias das suas cervejas.

*Caso queira visitar alguma dessas cervejarias, confira em sua programação se a casa estará aberta durante o carnaval de Belo Horizonte 2021.

Albanos

foto: Divulgação

Uma das mais tradicionais choperias de Belo Horizonte, a Albanos reformulou seu modelo de negócio, bem como sua estrutura física para atender a um mercado em expansão que o das cervejas artesanais, que vem vem conquistando cada vez mais consumidores.

Hoje a casa conta com vários estilos de cervejas artesanais de produção, além de ter uma pequena cozinha para a produção de receitas de cervejas mais ousadas.

O cardápio foi todo pensado em harmonizações com as cervejas da casa.

Cervejaria Astúcia

A Cervejaria Astúcia começou suas atividades como uma cervejaria cigana, que é uma modalidade de produção na qual os proprietários da cervejaria não possuem uma fábrica própria, alugando o espaço de produção de alguma cervejaria já estabelecida. Contudo, todas as operações ligadas à venda do produto (marketing, publicidade, vendas, distribuição e etc.) final são independentes, ficando por conta dos proprietários.

Atualmente ela conta com um brewpub (bar que produz a própria cerveja in loco) na região centro-sul da cidade. Ao todo a casa conta com 12 torneiras de chope, com alguns rótulos convidados e os famosos rótulos da cervejaria, entre eles a Lagoinha Hop Lager (Lager mais lupulada), a Mangabeiras (IPA), Brotherhood (IPA) e uma Sour (cerveja de sabor ácido) que ainda não tem nome.

Ateliê Wäls

Ateliê Wäls em Belo Horizonte
foto: Divulgação.

É o maior barrel room da América Latina. Por lá são produzidas diversas cervejas de receitas únicas, maturadas em barris de madeira para serem servidas exclusivamente no restaurante de cervejaria.

Recentemente o Ateliê Wäls ganhou um importante prêmio ao ser reconhecido pela Unesco e pela União Internacional dos Arquitetos como o melhor projeto de arquitetura na categoria restaurantes – etapa América do Sul, Central e Caribe – do Prix Versailles 2018.  Essa foi a primeira vez que uma cervejaria venceu um prêmio nessa categoria.

Bar do Antônio

O Bar do Antônio, também conhecido com Pé de Cana, tem duas unidades na capital mineira: a primeira delas no bairro Sion e outro no bairro Luxemburgo, onde a casa passou a contar com uma cervejaria própria.

A capacidade de produção da cervejaria é de 5000 litros/mês, dentre os quais são produzidos 4 estilos fixos e um sazonal, que varia mensalmente.

Incógnita Lab

A incógnita é uma cervejaria cigana, ou seja, produz suas cervejas em outras cervejarias, e foi fundada por 4 cervejeiros de Belo Horizonte.

Recentemente a marca abriu um bar na zona sul de BH, o qual é bastante movimentado e conta com uma nanocervejaria para a produção de diversas cervejas da marca. Geralmente suas produções são experimentais, fugindo um pouco do tradicional ao qual o mercado está mais acostumado.

Hofbräuhaus

Cervejaria Hofbräuhaus BH
foto: Divulgação.

A Hofbräuhaus BH é a primeira filial dessa famosa cervejaria de Munique (Alemanha).

A HB, como também é conhecida, é uma cervejaria especializada em receitas de cervejas alemãs e segue fielmente as receitas originais de sua matriz na Alemanha.

Seu cardápio é composto por pratos típicos da baviera, mas também oferece pratos brasileiros como filé com fritas e torresmo de barriga.

Insector Sands

Com um pub no coração da Savassi, a Inspector Sands, em parceria com a Burgueria Savá, oferece para seus clientes uma variedade de 15 chopes diferentes, sendo alguns de produção própria e outros de cervejarias convidadas.

Todo mês a casa abre seu palco para uma Jam Session, onde uma banda principal se apresenta e abre o palco para diversos músicos se apresentarem também, sem ensaio e na base do improviso.

Templo Cervejeiro Backer*

Templo Cervejeiro da Cervejaria Backer em Belo Horizonte.
foto: Divulgação.

*Devido às investigações referentes a supostas contaminações de cervejas da Backer, a mesma está com suas operações paralisadas, incluindo o Templo Cerevjeiro, por tempo indeterminado.

A Backer é uma das maiores cervejarias artesanais do Brasil, não só em termos de produção, mas também com a conquista de prêmios em diversos concursos de importância mundial.

O Templo Cervejeiro é um restaurante que fica dentro da fábrica da cervejaria, o qual conta com um cardápio com pratos bem elaborados e uma vasta seleção de cervejas do portfólio da Backer.

Cidades próximas a BH para passar o dia

Existem muitas cidades e distritos próximos a BH que são muito procurados por turistas, o que inclui lugares românticos próximos a BH.

As características desses locais variam entre ecoturismo, natureza, gastronomia, cultura e história.

Não deixe de conferir as promoções de aluguel de carro na Rentcars que sempre tem diversas promoções e aceita parcelamentos em ate 12x.

Casa Branca

Casa Branca em Brumadinho
foto: Andre V. Ruas em Commons Wikimedia

É um povoado rural pertencente ao distrito de Brumadinho. É uma vila bem pequena com aproximadamente 2000 habitantes e é muito procurada por turistas da Região Metropolitana de Belo Horizonte por ser um destino calmo para quem quer fugir do stress do dia-a-dia.

Casa Branca é famosa por suas pousadas e seus restaurantes de cozinha mineira, que estão sempre movimentados.

Distância de BH: 35 Km.

Hospedagem => Pousadas em promoção em Casa Branca

Inhotim

Museu Inhotim em Brumadinho
foto: Divulgação

O Inhotim é um dos maiores museus a céu aberto do mundo e é um dos destinos mais procurados pelos turistas que visitam a região de BH.

Ele está localizado na cidade de Brumadinho, a 55km da capital mineira, mas é de fácil acesso, apesar da distância.

É recomendado chegar bem cedo para conseguir ver a maior parte das atrações do museu, já que tem muita coisa pra ser vista. Muitos visitantes acabam voltando outras vezes para conseguir visitar o museu inteiro.

Além de ser uma galeria de artes a céu aberto, o Inhotim é um imenso jardim botânico, com espaços livres maravilhosos.

Sem dúvida o Inhotim está entre os melhores museus do país.

  • Horário de funcionamento: Terça a sexta-feira – 9h30 às 16h30; Sábado, domingo e feriado – 9h30 às 17h30. Segunda-feira: Fechado.
  • Preço do ingresso: Terça, Quinta, Sexta, Sábado, Domingo e feriado (R$44,00); Quarta – exceto feriados – (gratuito).
  • Endereço: Rua B, 20 Fazenda Inhotim, Brumadinho – MG
  • Como chegar: (clique aqui)

Hospedagem => Hotéis próximos ao Inhotim

Lapinha da Serra

Lapinha da Serra
foto: Portal da Lapinha/Divulgação.

Um destino muito apreciado pelos amantes da natureza, a Lapinha da Serra é uma pequena vila que pertence ao município de Santana do Riacho, que é a porta de entrada do Parque Nacional da Serra do Cipó.

É uma região bucólica, rica em beleza natural, com diversas cachoeiras, riachos, lagoas e montanhas. O contato com a natureza é real devido à diversidade de trilhas, piscinas naturais e áreas de camping.

Distância de BH: 135 Km.

Hospede-se => Santana do Riacho e Lapinha da Serra

Lavras Novas

Lavras Novas distrito de Ouro Preto MG
foto: Portal Lavras Novas

É uma pequena vila que faz parte do município de Ouro Preto e está situada bem no topo das montanhas do Parque Nacional do Itacolomi.

A arquitetura barroca e colonial é marcante em Lavras Novas, que foi fundada no auge do ciclo do Ouro em Minas Gerais, no século 18.

É possível encontrar diversos restaurantes com comida mineira caseira por lá, além de muita beleza natural, cachoeiras, trilhas e lagoas.

E nada como o ar puro das montanhas para revigorar as energias de qualquer um.

Distância de BH: 113 Km.

Hospede-se => Pousadas com desconto em Lavras Novas

Macacos

São Sebastião das Águas Claras, mais conhecido na região como Macacos, é uma vila pertencente ao município de Nova Lima, na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

Local famoso por suas ruas tranquilas, restaurantes de comida mineira e clima mais ameno que o da capital, mesmo no verão. É um paraíso cercado por montanhas e rios, sendo um lugar ideal para quem busca sossego perto de Belo Horizonte.

Distância de BH: 24 Km.

Hospedagem => Pousadas em Macacos

Mariana

Igrejas de Mariana
foto: Adam Jones em Commons Wikimedia.

É a cidade mais antiga de Minas Gerais. Mariana é marcada pela arquitetura barroca, suas igrejas centenárias e ruas calçadas com blocos de pedras.

É uma das cidades históricas mais visitadas em Minas, além de ser tombada como patrimônio arquitetônico e urbanístico brasileiro.

Mesmo estando próxima às montanhas, Mariana é uma cidade de topografia pouco acentuada.

Como não podia faltar, a cidade é repleta de restaurantes de comida mineira, com pratos que variam do tradicional ao sofisticado.

Distância de BH: 117 Km

Hospedagem barata => Hotéis em promoção em Mariana

Ouro Preto

Ouro Preto Minas Gerais
foto: Nathalia Segato on Unsplash

É a cidade histórica mais visitada de Minas e uma das mais famosas do Brasil. Ouro Preto é considerada patrimônio Mundial pela UNESCO, além de ter diversas edificações e obras de arte importantes para a história do Brasil.

Ao longo do ano a cidade recebe várias festas importantes como Mostra de Cinema, o festival de cervejas artesanais Ourobier, o Festival de Inverno e a tradicional cerimônia da entrega da Medalha da Inconfidência no dia 21 de abril, quando Ouro Preto se torna, simbolicamente, a capital do estado de Minas Gerais.

São diversos restaurantes especializados em comida mineira na cidade, os quais estão sempre cheios e sempre recebendo elogios dos turistas.

Distância de BH: 98 Km

Melhores Hotéis => Hotéis em promoção em Ouro Preto

Rio Acima

Rio Acima é considerada a cidade mais próxima de Belo Horizonte com cachoeiras de porte médio. Seu acesso é fácil e rápido, já que é feito por estradas largas na maior parte do trajeto.

Além disso, é possível fazer um passeio na Maria Fumaça da cidade, que foi uma das primeiras de Minas, porém atende apenas o turismo hoje em dia.

Distância de BH: 37 Km

Hospedagem => Pousadas em Rio Acima

Serra do Cipó

A Serra do Cipó é um distrito do município de Santana do Riacho, onde é possível se hospedar tendo um maior contato com a natureza.

Esse distrito fica no Parque Nacional da Serra do Cipó, além de estar bem próximo da Lapinha da Serra.

É um destino muito procurado por pessoas de espírito aventureiro ou por quem busca um ambiente mais bucólico devido a seus inúmeros campings, paisagens naturais, pousadas que lembra casinhas da roça e uma culinária do interior de Minas de dar água na boca.

Distância de BH: 98 Km

Pousadas em promoção => Hospede-se na Serra do Cipó

O que fazer em BH em 1 dia

Como morador de BH eu digo que apenas 1 dia é muito pouco para conhecer a cidade. Nesse artigo eu sugeri 3 dias porque esse é o tempo mínimo para você conseguir conhecer o principal de BH.

Mas se você tem realmente apenas 1 dia, eu sugiro que vá bem cedo para a região da Pampulha e dê uma volta pelos arredores da Lagoa, principalmente na sua orla. Assim você vai conseguir pelo menos ver os principais pontos turísticos da região.

Você pode almoçar por lá nos restaurantes que sugeri nos parágrafos anteriores, mas se quiser também pode almoçar nos restaurantes do centro. Você pode almoçar também no Mercado Central, já que você não pode deixar de visitar esse lugar. Almoce por lá, dê uma voltinha em seus corredores e, se animar, faça algumas compras e depois tente visitar o Parque Municipal.

Depois disso, sugiro que vá para a Praça da Liberdade e visite pelo menos 1 museu do seu circuito.

A noite, como você estará pela região centro-sul, minha sugestão é que você conheça alguns dos bares da Savassi ou dos seus arredores. A cervejaria alemã Hofbräuhaus é uma das melhores sugestões, mas também existem bares interessantes como o Inspector Sands e o Stadt Jever, com muita cerveja artesanal e comida boa.

O que fazer em Belo Horizonte no carnaval

Carnaval de Belo Horizonte 2020
foto: Élcio Paraiso/Acervo Belotur

O carnaval de Belo Horizonte tem ficado mais famoso a cada ano e já se consolidou com uma dos maiores carnavais de rua do Brasil.

São diversos blocos para todos os gostos e idades, os quais se concentram em diversas regiões da cidade.

Fiz um artigo completo com todas as dicas da folia, o qual você pode conferir nesse post sobre o carnaval de BH.

Centro de atendimento ao turista

A Prefeitura de Belo Horizonte conta com alguns Centros de Atendimento ao Turista (CAT). Nesses CATS, você consegue encontrar dicas de passeios e eventos, com atendimento personalizado.

Confira onde eles estão:

CAT Mercado das Flores

  • Avenida Afonso Pena, 1055 – Centro
  • Horário de funcionamento: Diariamente das 8h às 13h 
  • Tel: 31 3277-7666

CAT Mercado Central

  • Avenida Augusto de Lima, 744 – Centro
  • Tel: 31 3277-4691

Centro de Referência Turística Álvaro Hardy | Veveco

  • Avenida Otacílio Negrão de Lima, 855 – São Luís
  • Horário de funcionamento: 3ª a 6ª das 12h às 17h, sábado, domingo e feriado das 10h às 15h
  • Tel: 31 3277-9987

PLANEJE AQUI A SUA VIAGEM!

  • SEGURO VIAGEM: Seguro de viagem com desconto para leitores do blog!
    Faça sua cotação na Seguros Promo para encontrar o seguro viagem com melhor preço. Leitores do blog tem 5% de desconto, além de poder parcelar o cartão em até 12x ou no boleto bancário, que dá mais 5% de desconto! Veja mais aqui.
  • HOTEL: Encontre promoções e reserve seu hotel em Belo Horizonte pelo nosso parceiro Booking.
  • ALUGUEL DE CARRO: Pesquise pelo menor preço em todas as locadoras de uma só vez através da RentCars. Eles possuem escritório no Brasil com atendimento em português, dividem em até 12x no cartão ou com 5% de desconto no boleto e você é cobrado em Reais.
  • VOCÊ CONSEGUE FICAR SEM CELULAR: Não deixe de sair do Brasil já com o seu chip internacional pré pago com internet boa de verdade, para usar em 200 países. Conheça a America Chip.
  • PROBLEMAS COM SEU VOO?: Se você teve seu voo cancelado, atrasado, perdeu sua conexão ou teve sua bagagem extraviada ou danificada, a Resolvvi pode ter ajudar a solucionar esse problema sem sair de casa. Conheça a Resolvvi.
  • INGRESSO SEM FILA: Não perca tempo durante sua viagem enfrentando filas nas principais atrações turísticas do mundo. A GetYourGuide é um site de compras de ingressos online onde você pode comprar seus ingressos antecipados para atrações nas principais cidades do mundo e ainda não precisa enfrentar as filas quilométrica que costumam existir nesses locais.
error: Conteúdo protegido.